O causo do padre endiabrado

Essa meu pai me passou, tendo meus tios mineiros como testemunhas.

 

Na década de 40, em Santa Rita do Rio Abaixo Estação de Ibitutinga – Município de São João Del Rey (experimentem falar isso rápido com sotaque mineiro, é radical), Minas Gerais, havia um padre famoso na cidade. Era um sacerdote fervoroso, daqueles clássicos de localidades pequenas.

 

Conhecido por todos, o tal padre era a grande referência, sendo muito requisitado para conselhos, confissões, prosas e tudo mais. Mas, ele já estava numa idade avançada e começou a caducar. Com o passar dos meses, seus sermões ficavam esquisitos. Ele sempre inventava uma coisa diferente e até mudava o discurso, às vezes, acrescentando detalhes e histórias não exatamente contidas no livro sagrado.

 

Crentes na idoneidade do santo homem e sem embasamento cultural suficiente para pensar diferente, a população de SRRAEIMSJDR (resolvi abreviar o nome da cidade) ouvia confusa aos cultos.

 

Até que, em um determinado dia, o nosso personagem extrapolou. Numa parte da missa, o sacerdote parou e encarou por alguns segundos a população e disparou:

 

– Irmããããoooss e irmãããsss! Aqui nesta santa casa, há alguém excomungado!

 

Putz, perplexidade geral. A população olha apavorada para o padre, que continua:

 

– E nós vamos descobrir quem é o ser adepto de práticas não-católicas! Quem é o mais novo seguidor do capeeeta! Eu vou desmascaráááááá-lo!

 

A ansiedade reinava no recinto. As pessoas se entreolhavam em busca de um indício que apontasse quem era o tal referido. Até que o sacerdote veio com a solução:

 

– Vou virar de costas e jogar o meu cajado para cima! Na pessoa que esse santo objeto cair, estará o pecador!

 

Agito geral na igreja. A população, totalmente inquieta, aguardava impaciente. O sacerdote fica de costas, ergue o braço e… lança bravamente o cajado para cima.

 

Suspense.

 

O objeto gira e viaja no ar em alta velocidade até bater no teto e começar a cair. Todos os olhos do recinto acompanham a queda do cajado que vem descendo, descendo, descendo até que…. PAFT! Bate nas costas do… padre!

 

Óóóóóóóó!! A cena ficou congelada. As pessoas, pasmas com a revelação, encaravam o sacerdote com pânico e apreensão.

 

Contam, meus tios, que o padre não ficou muito tempo mais na paróquia, sendo substituído. E que, certa feita, uma das testemunhas contava essa história em um armazém para um bando de capiaus. No exato momento que relatava a trajetória do cajado, uma moranga que estava pendurava caiu e bateu no chão, derrubando uma série de coisas de uma prateleira. Todos fizeram o sinal da cruz e o assunto nunca mais foi comentado.

Uma resposta to “O causo do padre endiabrado”

  1. AHAHAHAHAHAH
    cara, muito bom.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: