O sacerdote mamado

Lembrei dessa no almoço de quarta-feira com o pessoal da agência.

Quando trabalhava na Bandeirantes, participava de coberturas do dia de Nossa Senhora dos Navegantes, padroeira de Porto Alegre. Odiava aquilo. Sempre era um calor infernal (2 de fevereiro, né?), um sol de lascar, me queimava nos braços e no rosto (mesmo com protetor solar) e sofria com insolação, parecia que ia desmaiar. Um horror.

Pois bem. Numa das oportunidades, teria que acompanhar todas as festividades, inclusive fazendo entradas ao vivo da própria Igreja de Navegantes. E foi nessa atividade que o incrível (mas comigo, possível) aconteceu.

Ao entrar na sala reservada do padre anexa à Igreja, encontrei o sacerdote – um sujeito de meia idade, magro, estatura média, de óculos, cabelos pretos e bem curtos – em uma alegria incomum, além de um vermelhão na pele, especialmente no rosto. Ao me aproximar para entrevistá-lo, percebi um forte cheiro tradicional de quem teve um almoço regado à bebida do deus Baco. A língua roxa comprovou a minha suspeita.

Mesmo com as condições adversas, decidi ir em frente. Antes de entrar no ar, o padre estava mega risonho, contando piadas, exaltando felicidade. Assim que eu comecei o boletim, não é que o santo homem se postou a fazer caretas na minha frente? Mas não eram caretas simples não… eram CA-RE-TAS, sacou? Jim Carey ficaria no chinelo!

Pô, o cara espalmou a mão nas orelhas e balançava os dedos com a língua de fora, abria a boca com as mãos para mostrar a língua, ria de mim se contorcendo todo em silêncio e trambolhava o dedo indicador na língua fazendo blrlrlrlrlrlrlr… enquanto eu, calmamente, narrava ao vivo que estava na Igreja tal, cobrindo a festa de Navegantes, padroeira da capital dos gaúchos, um dia muito importante para os devotos porto-alegrenses, etc, etc.

Acho que eu não ri porque não conseguia acreditar no que estava vendo. Aos meus leitores, peço que tentem imaginar a cena. Um jovem repórter sem paciência começa um boletim e um padre de batina e tudo passa a fazer caretas para desestabilizá-lo. Surreal. Mas não comigo.

Não recordo ao certo o final da história. Mas lembro que no ar foi tudo bem. E também nunca mais ouvi falar do tal padre. Será que entrou no circo?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: