Mediador do Olimpo

Hoje foi, sem dúvida, um dos dias mais difíceis da minha vida. Hesitei e pensei se deveria escrever sobre isso, mas como precisava desabafar, achei o Dark Journal um fórum adequado.

É absolutamente normal que pais discutam e fiquem de bico um com o outro, e acontece nas melhores famílias. Porém, mesmo sendo uma discussão normal de pessoas que convivem há 35 anos (só de casados), hoje foi a primeira vez que eu tive que mediar isso. Acreditem, meus amigos, é mais fácil enfrentar o Mike Tyson em um dia fúria.

Esse é um peso que eu nunca gostaria de carregar. Dói muito para um filho ver a discórdia entre os próprios pais. Essa dor vem acompanhada de um sentimento de incompreensão. Afinal, pais foram feitos para estarem juntos e se amarem. Quando isso fica ameaçado, parece que o chão vai ruir.

Como agravante entra o fato de que um filho sempre se sente inferior aos pais. Parece que você precisa conversar com eles através de um humilde coração e de joelhos – literalmente, é claro. Vemos nossos pais como deuses no Olimpo, intocáveis e, por vezes, soberanos.

Primeiro tive que conversar e ouvir as lamúrias de um e depois escutar o outro. Dói. Putz, como dói fazer isso. Ao mesmo tempo, não sabia que eu tinha tanta autoridade assim com meus pais, que eles me respeitavam tanto. Assim como me surpreendi com a “infantilidade” deles para algumas coisas. E acho que é de todos pais. Mas, em alguns momentos da conversa, parecia uma briga mais infantil do que as tinha com o meu irmão.

É fato que algumas pessoas têm dificuldade de diálogo, ora por serem impositivas e intransigentes ou então simplesmente não conseguirem organizar as idéias. Também é fato que ouvir um pai ou uma mãe reclamar te faz dar uma razão momentânea para aquela pessoa em detrimento da outra, mesmo que não seja o caso.

No fim, consegui resolver e apaziguar os ânimos. Tudo ficou bem, ou pelo menos deve ficar. Mas o mix de emoções e de vontades naquelas quase duas horas de conversas separadas me mudaram um pouco, sem dúvida.

Espero nunca mais ter que fazer isso. É uma experiência que considero válida, mas não me sinto capacitado para ser mediador de uma discórdia em que eu esteja tão emocionalmente envolvido. Quem topa uma parada dessas tem muita coragem.

Depois de ouvir, ver e falar tanto, saía da minha casa levando camisetas passadas e roupas que tinham sido lavadas, afinal meu pequeno loft não comporta esta estrutura de lavagem. Naqueles segundos, eu pensava sobre muita coisa. Meus pais almoçavam juntos e eu avaliava se havia feito a coisa certo.

Também pensei se tudo iria realmente ficar bem. Um turbilhão de sentimentos passava pela minha cabeça. Só sei que na hora da despedida, encarei os dois e disse que os amavam. E pasmem. Foi a primeira vez em 27 anos que eu tive coragem de dizer isso. E o fiz com a maior sinceridade do mundo.

Virei de costas e caminhei até a garagem, aliviado, mas com o peito torcido, a garganta salivando e os olhos marejados.

Uma resposta to “Mediador do Olimpo”

  1. Vivi Grafitti Says:

    Te entendo perfeitamente! É f*! Mas tudo vai ficar bem! beijo grande!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: