Arquivo para janeiro, 2011

Idiotas do barulho

Posted in O mundo cruel with tags , , , , , on 18/01/2011 by andreifonseca

A expectativa de ir para a praia a fim de relaxar e descansar caiu por terra. Posso falar isso talvez em relação ao Rio Grande do Sul e seu horroroso e despreparado litoral. Sofremos com um trânsito caótico de ida, volta e permanência, pois Capão da Canoa, por exemplo, não possui ruas e espaço suficientes para o número de motoristas e pedestres.

Outro fator é a falta de infra-estrutura. Tem um ou dois supermercados que vivem em falta de produtos, lojas com péssimo serviço, falta d’água e luz, ruas esburacadas, serviço ridículo a beira-mar, obras pela metade, enfim, é um caos.

E o pobre veranista de bem pensa que, mesmo com tudo isso, poderá ficar trancado em casa ou na varanda, tentando ficar na santa paz. Pois está errado. As praias do litoral gaúcho estão cada vez mais lotadas de idiotas do barulho. Pessoas que usam o final de semana para encher a cara e colocar a discoteca do porta-malas do carro para funcionar. Afinal, na ausência de um pênis decente e funcional, é necessário ter um complemento automotivo e sonoro.

Tenho um amigo que faz isso e se orgulha. Questionei se ele não se preocupa em incomodar aos outros. A resposta foi deprimente e chocante: “Ah, se eles reclamarem, eu baixo”. Quer dizer, ele quer infernizar a pessoa para que ela passe pelo constrangimento de parar o nobre descanso e ser o estraga-prazeres da festa alheia. É um exemplo clássico de falta de pensamento coletivo.

Esse individualismo é crescente, infelizmente. Na semana de ano novo, sofri com um vizinho que trouxe pelo menos 15 pessoas para tocar música alta com pandeiro e tudo mais na frente de casa até as seis da manhã. Sim, não exagero. Ah, e quando abri a janela um dos dias, um grupo de homens corria só de cueca atrás um dos outros. Não me surpreendi.

Na outro final de semana, um imbecil ligou em uma rádio ridícula de funk/pagode/sertanejo/dance para todo o bairro. Sim, porque o idiota que faz isso é tão idiota que, além de propagar o som aos quatro ventos, faz sempre com uma melodia horrorosa. Se fosse Ramones, Johnny Cash ou Beatles, eu me irritaria menos.

Tentamos ver um filme e foi em vão. É muito chato isso. E sabe o que o pior? As leis são brandas. Um amigo norte-americano me contou uma vez que ele estava fora de um bar, fumando um cigarro e conversando com outra pessoa. Chegou um carro da polícia, o agente mediu os decibéis, disse que eles falavam alto demais para o horário e aplicou uma multa de US$ 100,00.

Além de ser uma demonstração falha de machismo, é um grande exemplo de não pensar no próximo. A mesma pessoa que faz isso joga lixo no chão, desperdiça água, comida, estaciona em vaga de deficiente, não dá lugar ao idoso e tem chance de se tornar um deputado para aumentar em 62% o próprio salário. Sem sentir vergonha alguma.

Anúncios

A prova do líder

Posted in BBB11 with tags , , , , , , on 14/01/2011 by andreifonseca

Não quero que o BBB seja o assunto mais discutido aqui no Dark Journal, mas ontem a Globo proporcionou um momento histórico na televisão brasileira. A primeira prova do líder desta edição do BBB. Para quem não assistiu, vou explicar rapidamente e quem já viu, vai rir muito de novo.

Os quatro grupos foram divididos em dois times, um vermelho e outro verde. Eles tinham que percorrer uma distância entre dois palcos, passando de um lado para o outro, suspensos em uma garrafa gigante de Guaraná Antártica, o patrocinador da disputa. Perfeito, não? Não, não foi.

No começo, O Pedro Bial explicou e as pessoas fizeram cara de que não estavam entendendo direito, mas ninguém questionou para não parecer burro. Logo no início da prova, o time dos vermelhos que tinha os fortões e as beldades passou dois de cara, e o grupo verde conseguiu quebrar a correia que fazia o transporte da garrafa gigante.

Pausa na prova. Bial manda os brothers pra dentro da casa, chama o intervalo. Na volta, constrangido, o apresentador chama os participantes e avisa que vai demorar o conserto e pede que alguém cante uma música. O gago do grupo se apresenta e canta um axé, seguido pelo barman que larga um rap. Legal, todos riem, novo intervalo, hora da prova.

Chegando ao lado de fora, começa a bizarrice. A participante Paula, carinhosamente apelidada pelos “amigos” de Jabulani, vai tentar a sorte e leva tombos impressionantes ao tentar agarrar a garrafa gigante. A cena é simplesmente patética. Por mais que eu tente descrever, é melhor o leitor ver o vídeo abaixo. Publiquei toda sequencia de trapalhadas da produção, se o amigo quiser adiantar para os tombos, pule para o minuto 4:43.

Olha, o que essa moça se machucou, não foi brincadeira. Impressionante. E me chamou muito a atenção a perseverança dela. Sabendo que estava em desvantagem, pagando o vale do ano e ferida, seguiu firme e forte. Palmas, Paula… você merece.

Óbvio que tem mais tombos de outros participantes, mas a sequencia de quedas da Paula é imbatível. Ao final, o time verde quebra novamente o treco e o vermelho ganha com o último participante praticamente forçando a garrafa a se mover.

Quem perde mais nesse caso foi o Guaraná Antarctica, que o seu nome estampar uma patuscada em rede nacional. Pedro Bial ficou com cara de tacho mas se saiu muito bom, mostrou experiência. Me admira que a Globo tenha liberado uma prova com imensa chance de dar erro.

O fato dominou os TTs no Twitter e houve diversas piadas. Resolvi reproduzir algumas:

– Paula caiu três vezes na prova. Pede música no Fantástico? #bbbfail

– Patrocínio do Guaraná Antártica: 5 milhões. Montagem da prova do líder: 5 mil reais. Ver o Bial com cara de bunda: Não tem preço. #bbbfail

– Globo, reprisa essa prova do líder nos sábados. Certeza que é mais engraçado que o Zorra Total. #bbbfail

– Paulinha caiu, terremoro no Rio. #bbbfail

– O sabotador não tá dentro da casa, tá entre a produção. #bbbfail

– Errar uma vez é humano. Errar duas vezes é burrice. Errar três, quatro, cinco vezes é Paulice. #bbbfail

– Em menos de um minuto a Globo e a Paula fizeram mais brasileiros rirem do que o Zorra Total em 10 anos. #bbbfail

– Tá na cara que o sabotador do BBB é o Guaraná Dolly. #bbbfail

– Alegria que contagia: ( ) Guaraná Antártica (X) Paulinha caindo #bbbfail

Caos molhado

Posted in Deu no DJ with tags , , , , , on 13/01/2011 by andreifonseca

Ultimamente, chuvas têm representado caos nos grandes (e até pequenos) centro urbanos no Brasil. Há alguns anos, um temporal devastou cidades em santa Catarina. Na virada de ano para 2010, Angra dos Reis foi brutalmente atingida por tempestades com várias vítimas. São Paulo nem se fala, cada chuva é um tormento com vítimas, estragos e desabrigados

Esta semana não foi diferente. A região serrana do Rio de Janeiro foi devastada por fortes chuvas, vitimando mais de 300 pessoas. O último número oficial divulgado pelas autoridades batia em 385, inclusive com o ex-prefeito de Nova Friburgo e seus filhos entre os mortos.

Hoje, Porto Alegre teve uma tempestade de quase 60 minutos, onde foram registrados 71 milímetros de chuva, 64% do esperado para o mês. A avenida Nilo Peçanha, como vocês podem observar nas fotos, foi duramente atingida. Há mais de dez anos, houve uma morte por afogamento por aqui.

Carros desistem de seguir na Av Nilo Peçanha

Carro preso no valão de esgoto da Nilo Peçanha

Diante deste cenário, pode pairar a pergunta: porque acontece esse caos quando chove? Bem, este jornalista aqui vai tentar elencar alguns fatores para fazer o amigo aceitar melhor as conseqüências e pensar no que pode fazer para contribuir para amenizar a situação.

Primeiro de tudo, na maioria destes casos, o volume de chuva é absurdamente superior ao normal. Mesmo com um sistema de escoamento reforçado, é complicado resistir à quantidade de água. E isso não é problema só do Brasil. Houve registros de enchentes na Alemanha e na Austrália esse ano.

Em segundo lugar, temos que considerar o aquecimento global. Não é exagero, não. A temperatura do planeta sobe um grau Celsius por ano. Isso é MUITO grave, interfere diretamente no clima. Vemos constantemente geleiras derretendo e contribuindo para o aumento do nível dos oceanos.

Mas então é culpa da natureza, Andrei? Não apenas, eu respondo. O aquecimento global tem muita influência do homem. Aliás, contribuímos no depósito de lixo nas ruas. “Ah, mas só um papelzinho pela janela, ou então, uma latinha no chão”. Essas pequenas coisas multiplicas por milhares levam ao entupimento de bueiros e esgotos. Lembro de um colega de rádio que uma vez, ao narrar uma enchente, viu uma surdina de carro sair de um bueiro. Pô, aí fica difícil.

Além disso, em alguns casos, principalmente no Rio de Janeiro, as ocupações irregulares contribuem para as tragédias. No temporal da virada do ano, havia uma vila inteira construída sob um lixão. Qual estabilidade estas moradias podem ter? Mesmo que o governo construa conjuntos habitacionais, alguns moradores não querem abandonar a sua vista e localização privilegiadas para ir morar mais afastado.

Se a população não fizer a sua parte, perde um pouco a razão de contestar o poder público, que também tem boa parcela de culpa. O Brasil é um péssimo exemplo em termos de gestar de crise. Nossa Defesa Civil é mal equipada, o Corpo de Bombeiros, apesar do treinamento e de ser um exemplo de bravura, carece de recursos humanos. Isso sem falar na falta de planejamento para construção de esgotos. Precisamos evoluir muito, e acima de tudo, ter vontade política.

Listei diversos fatores aqui e acho que a população deve começar a dar o exemplo para ter moral e cobrar dos governantes. Possivelmente com o alinhamento entre as duas partes, a mãe natureza pode se “sensibilizar” e dar uma trégua.

Aqueles que quiserem ajudar as vítimas do Rio de Janeiro, podem acessar aqui e ver os canais competentes.

Carros abandonados em Porto Alegre devido à chuva

BBBriga

Posted in BBB11 with tags , , , , , on 11/01/2011 by andreifonseca

Esse ano vale porrada no BBB. Resolvi começar assim, de soco mesmo. Aliás, eu chuto que essa edição vai nocautear A Fazenda em termos de audiência. Enquanto a Record aposta em (sub)celebridades em disputinhas de beleza, a Globo, através do Boninho, dá um murro no politicamente correto e enclausura  pessoas na maioria bonitas (ou não), mesclando opções sexuais, distribui trago a rodo e libera o cacete (em todos os sentidos).

Muitos vão dizer que BBB é isso é aquilo. Olha, eu também não gostava, confesso. Achava uma retumbante perda de tempo. Mas, a última edição me fez refletir sobre o caso. O Brasil discutiu sexualidade, comportamentos, paradigmas e viu um ogro se transformar em referência de sinceridade e caráter, e como prêmio, levar uma bolada milionária.

Alías, cabe uma referência ao Marcelo Dourado. Ele está longe de ser considerado um herói ou concorrer ao Prêmio Nobel. Mas o cara foi excluído e julgado (dentro da casa) pela sua aparência e estilo de vida, sofreu com o isolamento. Se os outros participantes não tivessem iniciado uma guerra contra um, este não teria levado. Mas o público é implacável, faz justiça com as próprias mãos.

Voltando ao BBB11, não acredito que a televisão brasileira estará apresentando a partir de hoje o supra-sumo do entretenimento. Longe disso. Porém, analisar os comportamentos das pessoas dentro da casa e da reação da população diante delas é um exercício riquíssimo.

Por outro lado, todo nós temos um lado fútil. Quem não gosta de um barraco? Nosso lado bisbilhoteiro fala mais alto, as vezes. A vida alheia interessa sim. Desligue o computador aquele que nunca parou para ouvir uma fofoca ou ficou observando o comportamento de um vizinho ou alguém na rua por um motivo qualquer.

Finalmente, estou muito curioso para o andamento dessa edição. Vai ter um sabotador (o que é muito bom para o jogo), tem a questão dos times, divisão de casas e o principal diferencial é um transexual, Ariadna, que vai esconder ter nascido Thiago. Imagine se algum maluco bebe demais e resolve tentar a sorte com a morena(o)? Esse BBB vai ser do cacete mesmo.

….

Novela Ronaldinho chegou ao final. Me surpreendi com o resultado. Apostei publicamente no Twitter que o destino dele seria o Grêmio. Acho que o Flamengo foi oportunista e acabou levando. Duvido muito que consiga cumprir os compromissos financeiros assumidos.

Os maiores prejudicados nesta história são os Assis Moreira. Não temo pela segurança deles, acho que não cabem imbecilidades ligadas à violência e acredito que não vão ocorrer. Mas a imagem fica arranhada sim. O Assis pode justificar o que quiser que o ódio dos tricolores será eterno.

Outra coisa: um dos maiores empresários do Brasil, Ricardo Vontobel, estava diretamente envolvido nisso e não foi tratado com respeito. Faltou palavra e ética para uma referência em negócios. Perde quem não cumpriu.

O Jacaré Banguela sugere que o Grêmio contrate Felipe Melo para marcá-lo. Esse jogo eu não perderia nunca.

2011, então

Posted in Mural with tags , on 10/01/2011 by andreifonseca

Opa! Voltamos.

Não sei quantas pessoas têm acessado meu blog, ainda não me atualizei sobre as estatísticas. Provavelmente, só por meio de pesquisa. O fato é que a vida profissional somada ao relaxamento me fizeram ficar ausente por muito tempo.

Porém, voltamos. Sim, eu e minhas histórias. Mas, com tanto tempo fora, falar sobre o que? Olha, quem sabe algumas frases sobre 2010 que não ganharam espaço aqui? Hummm… vamos lá.

“BICAMPEÃO!! BICAMPEÃO!!! BICAMPEÃO!!!” (Eu, sobre o Internacional, duas vezes rei da América)

“Um dos dias mais tristes da minha vida” (Publiquei no Twitter, sobre a derrota para o Mazembe)

Vou cobrar da presidente eleita a frase dita nos discursos da vitória e de posse: “Prefiro o barulho da imprensa do que o silêncio da ditadura”.

“Quer me foder? Me beija!” (Coronel Fábio, no Tropa de Elite 2)

“Babe, I love you” (Andrei para Juliana, diariamente, e vice-versa)

“Chi-chi-chi Le-le-le! Los mineros de Chile!” (Chorei com esse resgate)

“Nem todo mundo gosta de sexo!” (Dunga, em coletiva na Copa do Mundo. Prefiro não comentar).

“Quem nunca saiu na mão com uma mulher?” (Goleiro Bruno, em conversa com jornalistas, justificando que o desentendimento entre homem e mulher justifica a agressão)

“Hey, Jude… don’t make it bad…” (Paul McCartney, ao vivo em Porto Alegre)

“A gente quer que vocês sejam os padrinhos” (Fê Jaques, com lágrimas nos olhos, convidando para o casamento com o Xande)

“Vazio, pessoal” (Andrei, muitas vezes em 2010, quando a Ju se preparava para cortar e servir)

“Vocês precisam liberar o mijo!” (Nélio Bilate, palestrante no Grupo de Planejamento)

“Ninguém fez isso pela Vanusa” (alguém muito espirituoso no #GP10).

Bem, acho que podemos recomeçar dessa forma. Amanhã tem mais.