Amy is gone, one more round

O rock andava muito chato. Começou nos anos 50, explodiu nos 60, mudou nos 70, se reinventou nos 80, pesou nos 90 e chegou ao Século XXI muito chato. Com poucas exceções, nada depois de 2000 me empolgava musicalmente. E o pior: vieram movimentos de gosto e atitude duvidosos.

Mas fomos agraciados com uma Messias: Amy Winehouse. Combinando um original jazz style com uma postura totalmente rocker, a inglesa colocou um desfibrilador no rock and roll e reanimou a qualidade fonográfica. Estaria o rock ressurgindo? Oh Yes, baby.

Do primeiro disco, poucos falam. Até porque o segundo é absolutamente fantástico. Cheio de hits, qualidade ímpar, genial, enfim, um dos melhores da década.

Porém, nossa Messias tinha também o lado Lúcifer – dominante, na maioria do tempo. Muitas foram as manchetes que anunciavam os vícios da cantora e denunciavam comportamentos e diagnósticos preocupantes. Amy Winehouse tinha uma forte tendência autodestrutiva proporcional ao seu talento.

Tanta força para chegar ao lado de lá infelizmente teve a confirmação no último sábado, dia 23 de julho. Aos 27 anos de idade (mesma de Jim Morrison, Janis Joplin, Jimmy Hendrix e outros), Amy Winehouse foi encontrada sem vida em sua própria casa em Londres. O rock perdera sua salvadora.

Esse fato era tão previsível que havia um site que fazia uma banca de apostas. Desde que foi lançado, recebeu mais de 96 mil previsões. Quatro pessoas acertaram, e a primeira que enviou a resposta vai ganhar um Ipod Touch. Mórbido? Muito. Surpreendente? Nem um pouco.

Eu nunca fui um grande fã da Amy, mas a admirava e respeitava demais o seu talento. Torço pela perpetuação da sua obra e que o seu exemplo musical seja seguido e venerado. Também torço para que os fãs e os jovens talentos não tenham seu comportamento extra-palco como exemplo. Não é esse o caminho, pessoal.

Encerro com a minha música preferida. Na verdade, ela foi gravada originalmente por uma banda chamada The Shirelles e Amy Winehouse fez uma belíssima versão. You Will Still Love Me Tomorrow é uma bela canção. Quando eu comecei a sair com a Ju ouvia-a direto depois de deixar a Ju em casa. E pensava: será que ela vai continuar a me amar amanhã? Para minha sorte, a resposta foi sim.

Amy será sepultada nesta terça-feira.

Enjoy the song, my friends.

RIP Amy.

Will You Still Love Me Tomorrow – Amy Winehouse

Tonight you’re mine completely

You give your love so sweetly

Tonight the light of love is in your eyes

Will you still love me tomorrow?

Is this a lasting treasure

or just a moment pleasure?

Can I believe the magic of your sight?

Will you still love me tomorrow?

Tonight with words unspoken

You said that I’m the only one

But will my heart be broken

When the night meets the morning sun?

I like to know that your love

This know that I can be sure of

So tell me now cause I won’t ask again

Will you still love me tomorrow?

Will you still love me tomorrow?

Will you still love me tomorrow?…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: