Arquivo para Ottawa

Ponto de encontro

Posted in Candadá 2010 with tags , , , , on 14/01/2010 by andreifonseca

Depois de uns dias em Ottawa, voamos ontem para Toronto, a maior cidade do Canadá, com 4,5 milhões de habitantes. Totalmente cosmopolita, é possível perceber diferentes culturas e línguas espalhadas pela rua. Mas antes de entrar no “Place of Meeting”, que é o que significa Toronto para os aborígenes, vou relatar um pouquinho mais da capital federal.

Na segunda-feira, visitamos o cartão postal da cidade: o prédio do Parlamento Canadense. Particularmente, me impressionei todos os dias que passei na frente desta construção imponente. O estilo gótico da construção e a Peace Tower são admiráveis por horas. Do alto da torre, é possível ver a cidade toda.

Existe um rígido sistema de segurança para ingressar no Parlamento, mas que é contestado pelos próprios canadenses. Há algumas semanas, um grupo de ativistas do Greenpeace conseguiu acesso ao telhado do prédio e abriu uma faixa contra os resultados da conferência do clima.

Deu um patcha bafafá por aqui esse ato de ousadia. Fico imaginando se eles soubessem a zona que é cada passeata do CPERS ou então a violência exercida pelo MST nas suas invasões.

Saímos do Parlamento e fomos conhecer o War Museum, a atração que ficou faltando na minha primeira visita. Chegamos lá pelas quatro e pouco e, mesmo com a parada fechando as cinco, não conseguimos entrar.

Da frustração ao êxtase, consegui finalmente conhecer o War Museum pouco antes de pegar o vôo para Toronto. Atenção: você que planeja visitar Ottawa, não deixe de visitar este belíssimo prédio que contém uma aula de história.

O lugar é de várias formas impressionante. A começar que fica exatamente na fronteira entre Ontário e Quebec, numa área que “não tem domínio definido”, como um campo de batalha. Segundo porque o arquiteto do prédio, um japonês já de idade avançada, morou a infância em um campo de concentração no Canadá após o final da Segunda Guerra Mundial.

É possível percorrer em ordem cronológica todos os conflitos que o Canadá passou, desde as revoluções dos tempos de colônia britânica até a honrosa participação nas grandes guerras.

O maior destaque, sem dúvida, fica para a sala dos tanques, com dezenas de veículos de guerra e um gigante caça da Força Aérea Canadense. Talvez o campeão de fotos seja o veículo utilizado por Adolf Hitler em passeatas nazistas.

Do Museu ao aeroporto, deixando para trás 15 graus negativos e uma belíssima cidade de 700 mil habitantes e uma preocupante média de seis homicídios por ano (sim, eles estão preocupados com isso).

….

Chegando em Toronto, fomos direto ao hotel deixar as malas. Em seguida, uma rápida visita ao Eaton Center e daí adquirimos os tickets para ver jogos da NHL e NBA.

Na seqüência, mais aventuras da dupla aqui. E ta frio, mas a população comemora a chegada de um calor inesperado na quinta-feira e na sexta-feira, elevando a temperatura para três graus positivos.

Anúncios

Tobagoning again

Posted in Histórias - A vida foi assim with tags , , on 10/01/2010 by andreifonseca

A agitação dos três primeiros dias impediu que eu pudesse atualizar esta página como gostaria. Mas agora as coisas já ficaram mais calmas.

Todo trajeto aéreo foi extremamente tranqüilo. Não tivemos nenhum tipo de problemas em conexões, inspeções, filas, etc. A ressalva fica para o Aeroporto de Guarulhos, quando nós chegamos seis horas antes e tivemos que ficar duas horas em pé na fila da United Airlines esperando o check in abrir. Lamentável.

Não sei se devo mencionar (já mencionando) que quase perdemos o vôo para Chicago por conta do bar que ficava ao lado do portão de embarque. Acho que essa história é melhor de ser contada ao vivo.

Anyway, chegamos perto do meio-dia de Ottawa no Canadá, passamos por uma rapidíssima imigração e já estávamos curtindo um insuportável frio de 10 graus negativos. E ficou bem pior.

O primeiro dia foi apenas de compras e reconhecimento do terreno. Conseguimos terminar a noite nos estúdios de tv da CBC assistindo o Adrian apresentar o jornal ao vivo. Awesome!

Já o nosso sábado foi de agenda cheia. Depois de uma café da manhã absurdamente saboroso preparado pela esposa do nosso anfitrião, fomos comprar pranchas para fazer o Tobagoning aqui em Ottawa. Aproveitei para tentar achar um cartão de memória compatível para a minha máquina.

Através da dica do vendedor, comprei um e resolvi testar. Na abertura do pacote, já consegui cortar o dedo. Então, passei para a Ju, que resolveu o problema. Tentar colocar no lugar indicado, mas, além de não ser o adequado, o cartão sumiu dentro da máquina. Pânico geral. Mas daí, a Lana resolveu o problema com técnicas cirúrgicas.

Depois disso, fomos para o Mooney’s Bay Park, que estava totalmente congelado e tinha um barranco alto e assustador. A idéia era fazer tobagoning. Confesso: ao ver a altura, me borrei. Pensei em desistir, mas resolvi tomar um pouco de coragem e mostrar para my love que não havia perigo.

Foram algumas idas e vindas. É impressionante a sensação de que vai dar algo errado. Ter o controle da descida é praticamente impossível, é necessário ter calma e não fazer movimento brusco. Acho que as fotos mostram bem os detalhes desta movimentada aventura.

Depois dessas fortes emoções, fomos ao jogo de hóquei no gelo do Ottawa Senators, um dos principais times da liga. A partida era contra o Florida Panthers. No gelo, o Ottawa levou um laço e perdeu de 3 a 0, graças ao goleiro bem ruim que eles têm.

Mas o ponto alto ficou para o lugar onde assistimos o jogo: Press Box! Além de não pagar nada, conseguimos uma visão privilegiada e tínhamos pipoca, refrigerante e café a vontade. Pude acompanhar bem como funciona o trabalho de jornalismo esportivo por aqui.

É impressionante a assessoria de imprensa dos caras. Ao final de cada tempo, recebíamos um relatório sobre o que havia acontecido, com números precisos, do tipo quantos minutos tal jogador esteve na quadra enquanto o time dele estava penalizado ou em vantagem de um atleta. Incrível. Facilita muito a vida da imprensa se tivéssemos um serviço por aqui. Fora que criaria muito mais empregos na nossa aérea. Vamos sonhado.

Domingo é dia de patinar. Vou cair certo.

Férias planejadas

Posted in Mural with tags , , , , , , , , , , on 31/08/2009 by andreifonseca

Sexta-feira passada, eu e a Ju definimos nossas férias. Yeah! Confirmada nossa viagem para o Canadá e para New York. Vamos ficar 20 dias fora do país, em janeiro.

Há três anos, eu já fiz esse roteiro, quando fui visitar um amigo no Canadá e depois fui conhecer a Big Apple. Peguei o maior frio da minha vida, com 32 graus negativos em Almonte, uma cidade próxima de Ottawa.

Mesmo sendo muito frio, o clima é mais interessante que o nosso inverno aqui. A começar pelo interior dos lugares, que são planejados para este tipo de clima. Dentro de bares e lojas, é possível ficar de camiseta de manga curta.

Da minha visita ao Canadá, vou poder, novamente, assistir aos jogos do Toronto Raptors, meu time na NBA. E faltou contemplar o War Museum, em Ottawa. Desta vez, também, quero aproveitar um pouco mais Montreal, cidade que só pude conhecer na corrida.

andrei at almonte

Quanto a New York… bem, para mim, é a cidade mais incrível do mundo. Há muito que eu gostaria de ver de novo, sem falar no que ainda não vi. New York é como um “F5” em site de notícia, cultura e tendências, só que muito mais interessante e interativo.

E o mais interessante de tudo? A Ju vai junto. Isto é, se ela aguentar as minhas histórias repetidas e maçantes sobre os dois lugares durante quatro meses.

….

Falando em viagem, esta semana vou para Minas Gerais visitar meus parentes. Faz cinco anos que não faço essa trip. Serão apenas três dias, mas estou ansioso. Rever família sempre é bom.

….

A Ju, mesmo gremista, me acompanhou no Beira-Rio, neste domingo. Deu sorte. O Inter ganhou de 4 a 0 do Goiás. Eu tava tenso, afinal, seria o reencontro com o Fernandão, o jogador que mais admirei até hoje.

Mas foi tudo perfeito. Fernandão ficou pouco em campo (expulso injustamente, na minha opinião) e o colorado fez quatro belos gols.

 

Já o Grêmio segue sem vencer fora de casa. Tá na hora disso acontecer. E vai. Em breve. E quer saber? Acho que vai ser no GRENAL. A lei da gangorra me preocupa.